fbpx

Como prolongar o efeito da Toxina Botulínica?

Saber como prolongar o efeito da toxina botulínica, com certeza é um dos maiores desejos dos profissionais de harmonização facial.

E não somente deles mas também dos pacientes que adorariam ver o efeito da toxina durar por mais tempo.

Hoje você vai entender como o zinco influencia no poder de ação deste fármaco.

E além disso, como a associação fitase + zinco pode beneficiar, potencializar e prolongar os resultados dos tratamentos de harmonização.

Zinco e Toxina Botulínica

Segundo pesquisas, para ser eficaz, cada molécula de toxina deve estar associada a uma de zinco nos tecidos após a aplicação.

Isso para que as ligações de Snap 25 aconteçam de forma eficiente e capaz de alcançar resultados satisfatórios de relaxamento muscular.

Porém, todo ser humano é basicamente pobre em zinco e se faz necessário o uso de suplementação, para ajudar o organismo neste processo.

Principalmente para indivíduos de mais idade e peles mais maduras, que tendem a ter os níveis de zinco mais baixos.

Agora você deve estar me perguntando mentalmente:

Diogo, se todos nós somos basicamente pobres em zinco, isso significa que devo indicar suplementação a todos os meus pacientes?

A resposta é não. Não é obrigatório indicar suplementação de zinco, exceto em alguns casos pontuais. E falaremos sobre isso mais a diante.

Fitase associada ao Zinco

Para entender como o zinco pode ajudar a prolongar o efeito de ação da toxina botulínica, é preciso falar sobre fitase e absorção de nutrientes.

Afinal, um indivíduo com baixas quantidades de zinco nos tecidos, entre outros minerais, pode ter o efeito da toxina botulínica significativamente reduzido.

Por isso citei anteriormente que a suplementação se faz necessária sim em vários casos que veremos adiante.

É claro que os níveis de zinco podem aumentar com a ingestão de alimentos, como frango, carne, ovos, feijão e legumes, por exemplo, mas muitos deles também bloqueiam o poder de absorção.

E há vários fatores que inibem a absorção de minerais no organismo.

Entre eles está a presença dos fitatos, inimigos da absorção de minerais como o cálcio, magnésio e ferro, além do zinco.

Os fitatos são considerados por alguns como um antinutriente.

Isso porque se ligam fortemente aos minerais essenciais no ambiente intestinal e impedem sua absorção.

O zinco é um desses minerais e associá-lo à fitase pode ajudar a melhorar muito essa dinâmica.

A fitase é uma enzima que tem a capacidade de degradar fitatos, e consequentemente, beneficia a biodisponibilidade de minerais essenciais.

A associação fitase + zinco proporciona suporte nutricional e disponibiliza uma concentração ideal para aumento de eficácia da toxina.

Além disso, ajuda o organismo de forma geral na suplementação não só do zinco, mas também de outros minerais importantes para a saúde da pele.

Quando devo indicar suplementação?

Conforme dito anteriormente, o aumento dos níveis de zinco no organismo faz com que a toxina tenha mais ligações na Snap 25.

Segundo estudos, a complementação oral de fitase + zinco ajuda a potencializar o efeito e eficácia do fármaco em até 30%.

Em tese, a associação prolonga a duração da toxina após aplicação, quando comparada a indivíduos que não receberam suplementação.

Mas em quais casos é recomendado fazer uso da fitase associada ao zinco?

  • Pacientes Hipercinéticos:

Indivíduos com perfil de musculatura hipercinética, apresentam alta produção de acetilcolina e neo brotamento neuronal.

Isso por conta da força muscular beneficiada pela prática de exercícios físicos, principalmente em atletas e adeptos de treinos, como musculação e crossfit, por exemplo.

Sendo assim, o efeito da toxina vai durar menos do que 3 meses e por isso a suplementação do zinco é recomendada.

  • Pacientes com Fibromialgia, Artrite, Artrose, entre outros:

Pacientes que apresentam todas as “ites e oses” que você possa imaginar, fazem uso de antiinflamatórios em alta quantidade.

O que ajuda a reduzir a vida útil da toxina e cabe suplementação.

  • Pacientes com Efeito Vacina:

Agora se o seu paciente já está “vacinado”, ou seja, sofreu efeito vacina por não respeitar o espaço de tempo entre aplicações de toxina, também deve optar pela associação de fitase + zinco.

Em todos esses casos, além da suplementação é preciso também aumentar a quantidade de medicamento, pois a vida útil dele é dose dependente. Lembra disso?

Quanto maior quantidade de medicamento, maior o efeito. Proporcionando uma potencial redução na frequência de aplicações.

A administração de fitase associada ao zinco é segura.

E recomendo fazê-la 10 dias antes e 10 dias depois da aplicação de toxina, para o aumento da vida útil.

Saiba mais sobre Toxina Botulínica

Aprenda tudo sobre Toxina Botulínica e os tratamentos que beneficiam seu poder de ação no Curso Online de Toxina Botulínica.

Domine as técnicas de aplicação deste valioso fármaco e conquiste a segurança através do conhecimento.

Torne-se aluno e viva as vantagens que o Portal Diogo Melo tem a oferecer.

Nos vemos na próxima publicação!

Um grande abraço,
Doutor Diogo Melo.

Deixe seu comentário

Cadastre e junte-se aos mais 14,076 Profissionais da Saúde que estão melhorando seus Resultados Clínicos!